Arquivo da tag: sofrimento

ORAÇÃO QUE BROTA DA DOR

O sofrimento tem sido neste terceiro milênio um assunto muito debatido e discutido. A sociedade urbana globalizada em geral tem um posicionamento de evitar o sofrimento. É claro que ninguém quer sofrer e que é quase como um extinto humano rejeitarmos e fugirmos do sofrimento.

Mas o sofrimento tem algumas faces que precisam ser identificadas para que possamos saber lidar com os tipos deles existentes.

Tem sofrimento que a própria vida nos reserva. São situações que acontecem com praticamente todo ser humano pelo menos uma vez na vida e em muitos acontecem muitas vezes na caminhada por este mundo. São questões que na maior parte das vezes não temos responsabilidades por entrarmos. Quando estamos dirigindo de maneira correta e batem no nosso carro, quando saímos de casa e apesar de ela estar segura é assaltada, quando contraímos uma doença mesmo nos cuidando bem e etc.

Outro tipo de sofrimento é aquele que nós mesmos geramos. São acontecimentos em quê a responsabilidade era totalmente nossa. Quando ofendemos alguém por estarmos bravos, quando cometemos algum crime e somos pegos, quando administramos mal nosso dinheiro e entramos em crise financeira e etc.

Independente de qual seja a fonte do nosso sofrimento, é fato que ela gera dor em nós e muitas vezes em outros também. E esta é uma grande questão em que deveríamos refletir mais na nossa vida: Como lidar com a dor?

Com dor não estamos querendo dizer apenas das dores físicas, mas principalmente das dores da alma. Nesta geração aonde a dor e o sofrimento têm sido tão combatida, fica difícil encarar a dor como algo inerente na vida e que nos ajuda a crescer. Mas esta é uma maneira sábia de lidar com a dor e sofrimento. Saber distinguir aquela dor que nós mesmos geramos e que não precisaríamos ter gerado, da dor que é normal na vida de qualquer ser humano.

Para quem tem uma espiritualidade que lhe faz ser lançado para a oração pode dizer na sua vida de oração como a dor e o sofrimento é em muitos casos o combustível para as orações mais sinceras e profundas que já se teve. Quem sofre, mas tem um Deus para compartilhar da dor, consegue encontrar em Deus um refúgio seguro para poder descansar das dores e dos sofrimentos que por vezes atormentam a alma angustiada do que sofre.

As orações mais marcantes na vida de um devoto não são aquelas de agradecimento por alguma alegria que viveu de reconhecimento de quem é este Deus e etc. A oração mais profunda de um ser humano é aquela oração que brota da dor.

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.

Sofrimento + Disciplina = Discípulo de Cristo

A Bíblia contém exortações aos Cristãos para se conscientizarem do sofrimento que sofreriam como discípulos e da disciplina que Deus aplica àqueles que ama e disponibilizam suas vidas para a ação de Deus.

A Palavra de Deus trata de perseverança, de prosseguir a caminhada Cristã tendo como alvo Jesus Cristo e seu sofrimento que Ele mesmo aceitou ainda que tivesse sido lhe proposto por alguns, alegria.

Jesus já sabia que todos os seus discípulos iriam passar por sofrimentos durante toda a história da igreja. Por isso mesmo, Ele abre mão da sua glória, vem como ser humano e através de muitos sofrimentos, suporta e deixa muitos conselhos para seu povo não temer e suportarem as dores.

A resposta natural que o mundo e os seus valores dão para testemunhas de Cristo é o ódio. Jesus sabe disso e as Escrituras relembram aos leitores sobre a resistência de Jesus ao sofrimento.

Jesus não pode poupar seus discípulos do sofrimento, mas promete estar com os seus todos os dias até o fim dos tempos. E a presença confortante de Jesus é o suficiente para qualquer pessoa ter forcas para suportar os sofrimentos.

Através dos sofrimentos, os Cristãos podem viver parte do que o próprio Deus sofreu quando esteve em forma humana em Jesus Cristo, e assim podem ser testemunhas muito mais conscientes de toda a obra do Salvador.

Somente através do sofrimento podem ser moldados em um servo de Jesus algumas características morais e de caráter que nenhuma outra situação poderia desenvolver.

Quando o sofrimento vem de Deus pode ser como uma disciplina, correção ou simplesmente para aperfeiçoamento de Deus para os seus filhos. É algo como parte imprescindível para a preparação dos filhos de Deus para fazerem parte da família divina.

A disciplina de Deus e a aceitação desta correção por parte dos filhos, gera uma prova de que são verdadeiramente filhos do Pai.

A disciplina aplicada por Deus produz uma fonte consistente de caráter no Cristão e seus resultados poderão ser percebidos a cada ato de perseverança daqueles que permanecem em Deus.

Com a prova que os membros desta família têm dos seus antepassados que sofreram e foram grandes homens e mulheres fiéis a Deus, e também graças aos seus próprios frutos em suas vidas, isso tudo faz com que seja mais possível suportar o sofrimento permitido pelo Senhor.

Esta disciplina faz parte do desenvolvimento da santidade nos filhos, que é um dos atributos de Deus. Cristo deixa o seu exemplo maior de uma vida perfeita em santidade e de comunhão com o Pai, e com isso espera que os seus amigos (e não mais servos) sigam a sua missão e produzam frutos que permaneçam.

Este processo é uma necessidade que o Cristão tem para que os seus caminhos sejam perseverantes e resistentes na jornada que
terá por toda a vida com Jesus.

A dor que não obstante, não faz com que o servo desista ou desanime, mas produz um grande bem no resultado final do processo.

Quando o filho entende este processo necessário, ele suporta com alegria, com a certeza dos benefícios que trará para a sua vida e para o reino de Deus. Mesmo que a alegria seja uma reação contrária ao comportamento normal do ser humano em meio ao sofrimento como disciplina de Deus.

Com isso, a pessoa pode ajudar ao irmão que passa pelo mesmo acontecimento necessário, pois a situação é real em sua vida. Aquele que tem mais dificuldade pode se apoiar e ser auxiliado por aquele que resistiu e reagiu melhor ao sofrimento.

Todo este sofrimento serve para os Cristãos se firmarem nos caminhos de Cristo e aqueles que não estão firmes tem os motivos corretos para voltarem e se firmarem.

Mesmo aqueles que estão com dificuldades em suas vidas que influencia na caminhada, podem se firmarem neste princípio bíblico, o sofrimento.

O sofrimento serve para o aperfeiçoamento dos santos da Igreja de Jesus Cristo.

BIBLIOGRAFIA:

– BOYD, Frank M. – Comentário do novo testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 1996.

– CARSON, D.A. , MOO, Douglas J. , MORRIS, Leon – Introdução ao Novo testamento. São Paulo: VIDA NOVA, 1997.

– Ministérios RBC – Sofrimento: Por que Deus o permite?. Michigan/USA: RBC Ministries, 2007.

– JEREMIAS, Joachim – Teologia do novo testamento. São Paulo: PAULUS, 2004.

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.

CONFIAR OU PEDIR?

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie no seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas. Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema o Senhor e evite o mal”. – Provérbios 3.5-7

Conversei com uma amiga que está passando por um momento muito difícil. Ela está com um câncer na cabeça e está em tratamento constante para amenizar os efeitos da doença e por causa dos custos do tratamento, ela está passando também por uma crise financeira no seu lar. Está com várias contas em aberto e devendo para muitas pessoas. Inclusive o carro que está financiado por um banco também está atrasado e ela tem recebido ligações de cobrança desta parcela em aberto.

Ela me disse que não sabe mais o que fazer, pois a pessoa que é avalista (fiador) deste contrato está com o risco de ter o nome protestado pelo banco por causa desta dívida. E agora ele está ameaçando minha amiga de processá-la na justiça. Só que tem um detalhe: o avalista é o irmão dela.

Na conversa eu a perguntei:
– Você tem falado com DEUS sobre sua situação?
– Eu cansei de pedir a DEUS. Ele não me ouve mais, respondeu ela.
– Então agora você não tem que pedir, tem que confiar, respondi.

Muitas vezes oramos a DEUS para pedir a Ele muitas coisas que achamos que estamos precisando. Falamos com Ele aos prantos, falamos bravos, às vezes decepcionados, sem esperança e tantos outros sentimentos que estamos vivendo e honestamente expressamos a DEUS em oração.

Mas temos que analisar dando um passo para trás. Nós confiamos realmente em DEUS? Percebo que na maioria dos casos nós falamos com DEUS sem muita confiança nEle e muita confiança em nós. E quando falo em confiança, não falo do aspecto de confiar que Ele tem poder para realizar o que pedimos, mas falo em confiar que Ele sabe o que é melhor pra nossa vida e que nada vai nos deixar faltar (Salmo 23).

Achamos que sabemos melhor que DEUS sobre o que precisamos. Confiamos em nossos estudos, estratégias e experiências. Não nos conhecemos tão bem quanto achamos. Achamos que a tarefa dEle é de simplesmente ficar atento quando nós pedirmos alguma coisa, para que rapidamente Ele possa nos atender e fazer como nós queremos. Cremos nos milagres de DEUS, mas não no DEUS dos milagres.

O desafio é descansarmos e confiarmos na capacidade e cuidado de DEUS. Crermos que Ele nos ama e não permite que nada fora da vontade dEle nos aconteça. Que não precisamos dar uma “mãozinha” para ajudá-lo a nos ajudar. Temos que obedecê-lo e fazer a nossa parte. Não precisamos nos preocupar.

Quando pedirmos algo a DEUS, lembremo-nos de pedir que confiemos totalmente nEle e menos em nós mesmos !

“Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’… Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de DEUS e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” – Mateus 6.35

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.