Arquivo da tag: saúdeespiritual

RECUPERAÇÃO (Saúde espiritual)

A nossa saúde física é muito sensível apesar de termos em nosso corpo praticamente tudo de que precisamos para que ele se mantenha bem. Geralmente são fatores externos que acabam trazendo algum mal para o nosso bem estar.

Quando falamos em saúde espiritual muitas vezes estas primícias também são verdadeiras. Quando temos o Espírito Santo habitando em nós, já temos tudo do que  precisamos para que nossa vida possa estar bem saudável.

Depois de verificarmos os sintomas da nossa doença espiritual, analisarmos o diagnóstico que Jesus nos dá sobre nossa doença, entrar em um tratamento intensivo com Deus, ainda tem este último passo que é da recuperação.

Todo trauma precisa de um tempo para poder ser restaurado. E isto se aplica para o corpo e para a alma. Quando passamos pelo processo de recuperação da nossa saúde espiritual é importante percebermos que houve um esforço nosso para deixar o Espírito Santo agir em nossas vidas. Este esforço muitas vezes esgota a nossa energia que em muitos casos tem limites. Aprender quais são os nossos limites é essencial para uma boa recuperação da nossa saúde espiritual.

Falando sobre a recuperação da saúde espiritual queremos dizer que para nos recuperar da doença espiritual que tivemos, temos que dar um tempo para nós mesmos. Deus não se cansa e não para de trabalhar, mas não somos Deus e por isso precisamos parar algumas coisas em nossa vida para que possamos ter uma boa recuperação.

Alguém que passou por um divórcio recente, por exemplo, deve esperar até se envolver com outra pessoa. Assim como alguém que machucou a perna deve esperar até voltar a jogar futebol. A nossa alma também precisa de descanso. Precisa de tempo e relaxamento para se recuperar.

Trabalhado com moradores de rua há mais de 11 anos conheci muitas pessoas que lidavam com problemas sérios emocionais, psicológicos e espirituais de moradores de rua e não davam um tempo para si mesmo no afã de querer ajudar a todos e todas que encontrasse pelo caminho. Pessoas que acabaram se esgotando espiritualmente porque não deram um tempo para si mesmo e ficaram despreparadas para cuidar de outros.

Tem momentos em que na nossa caminhada como discípulos de Jesus passamos por situações difíceis e por mais que Deus tenha todo o poder para nos restaurar, nós não temos todo este poder e precisamos parar com algumas coisas e deixar Deus nos recuperar.

Se você passou ou está passando por isto, lembre-se que somos seres incompletos, mas que Deus nos completa à medida que vamos nos entregando para ele e nos negando. Deixe Deus ser Deus em sua vida.

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.

Sintomas de uma enfermidade espiritual

Se dissermos que não temos pecado algum, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. (I João 1.8)

Quando trilhamos pelo Caminho de Jesus, pelo Caminho do discipulado, algo se faz necessário de maneira constante em nossa jornada: a autoavaliação, a autocrítica. É preciso com ousadia e coragem, pela luminosidade do Espírito Santo, olhar para si mesmo para ver se estamos de fato vivendo uma vida que agrade ao Senhor integralmente.

Davi demonstrou essa compreensão e humildade quando orou: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno” (Salmo 139.23 e 24).

Talvez, quando pensamos em nós, especialmente em nossa espiritualidade, seja difícil admitirmos que temos algum problema, é difícil assumirmos que fazemos coisas, até de forma crônica, que estão longe de honrar o bom nome de Jesus. Vou usar uma metáfora para ajudar: pensando no corpo humano, se alguém está bem do coração e não está bem do fígado, pode-se dizer que tal pessoa é saudável?! E se está bem do figado, mas não está bem do estômago, tal pessoa é saudável?! Veja que o conceito de saudável só tem sentido quando se pensa no todo da pessoa, o mesmo vale para a nossa caminhada cristã.

Talvez você seja frequente e bastante participante na sua comunidade de fé, mas talvez ignore seus irmãos quando os encontra na rua, isso demonstra saúde espiritual?! Talvez você tenha um cargo importante na igreja que participa, mas despreza a prática da oração. Isso é bom?! Talvez tenha o dom do evangelismo e é muito abençoado nessa prática, mas se relaciona mal com quem já é cristão. Talvez tenha aceitado a Cristo em seu coração há bastante tempo e recebeu, por graça, a salvação eterna, mas ainda carrega emoções e práticas bastante negativas dentro de si como a falta de perdão ou a necessidade de aprovação crônica dos outros, isso demonstra maturidade cristã?! Talvez adore frequentar cultos, mas não suporte receber irmãos de fé em sua casa, tem lógica isso?! Talvez domine as doutrinas cristãs, mas é tremendamente intolerante com quem pensa diferente. Talvez leia com frequência a Bíblia e ainda assim coloque sua ideologia na frente de sua fé. Talvez tenha necessidade de aprovação! Talvez goste de ser aplaudido. Talvez tenha o vício de falar mal de alguém. Talvez seja especialista em desanimar os outros. Talvez seja muito rude nas palavras…As possibilidades para a falta de maturidade são muitas, infelizmente.

Veja: é preciso reconhecer humildemente que muitas pessoas que fazem parte da igreja de Jesus estão doentes, espiritualmente falando. Não significa que não sejam salvas, não significa que Deus não as ama. Significa simplesmente que precisam ser curadas na totalidade de seu ser. E é só no Caminho que a gente aprende isso. Aliás, se formos bastante sinceros devemos admitir que todos nós, em algum ponto, carregamos idiossincracias que ferem os princípios do Evangelho de Cristo.

É bom saber que Jesus veio para os que estão doentes e não para os sãos (Mateus 9.12). Talvez alguém possa pensar: “mas isso é óbvio, pois ninguém é perfeito”, sim, com certeza, ninguém é perfeito, mas existe a maneira cristã de lidar com nossa imperfeição e a maneira não cristã. A maneira não cristã afirma que os problemas são sempre culpa dos outros, e assim, não reconhece as próprias falhas. Já a maneira cristã é bem diferente, pois reconhece a sua imperfeição e incompletude com humildade e busca força em Deus para ser melhor a cada dia.

Estar no Caminho do discipulado, é estar matriculado na escola de Jesus; todo o currículo dessa escola e todas as lições ministradas pelo Mestre estão voltadas para a transformação do nosso ser de maneira integral. Andar no Caminho é se permitir ser transformado a cada dia para a glória de Deus e para o bem do nosso próximo, para a máxima potencialização do nosso ser e para a sinalização do Reino. Que o Caminho de Jesus encontre a cada dia guarida em nosso coração. Amém.

Laurencie Salles on sabtwitterLaurencie Salles on sabfacebook
Laurencie Salles
Sou uma simples pessoa que encontrou a vida por meio da graça de Deus, e esta magnífica graça tem um nome: Jesus Cristo. A partir de Jesus de Nazaré minha identidade é construída, meus papéis de marido, pai e filho, professor e cidadão são exercidos, e minha vocação pastoral é cumprida. Sou alguém amado graciosamente por Jesus e fora Dele não existe nada em mim que tenha valor ou sentido.
Minha formação é na área de Matemática, pela UFSCar (graduação e mestrado) e em Teologia, pela Faculdade Batista de Campinas, convalidado pelo Centro Universitário Clarentiano, com especialização pela FLAM/UNIFIL e especialização em Ética e cidadania pela USP/UNIVESP.