PARÁBOLAS, ORA BOLAS!

Quando falamos em parábolas, é muito difícil não lembrar de Jesus.
Tanto quem é Cristão quanto quem não é, logo faz esta associação de tão marcante que é o termo e de tanto que Jesus usou deste recurso literário.

Jesus contava estas parábolas para poder transmitir um conceito
ético e moral que existiam nas entrelinhas destas histórias – que apesar de fictícias – tinham muito em comum com o cotidiano dos ouvintes.

Alguns teólogos dizem que Jesus com estas parábolas queria
transmitir de uma forma mais inteligível os princípios das escrituras para as pessoas, que na maioria das vezes eram simples. Estes escritores afirmam que se estes valores fossem comunicados de uma forma mais teológica, estes ouvintes não entenderiam.

Mas, particularmente entendo que Jesus tinha outras razões para
contar essas parábolas. Quando Jesus conta a parábola do semeador em Marcos 4.1-20, por exemplo, percebemos que esta tese não faz sentido neste texto:

“Quando a multidão foi embora, as pessoas que ficaram ali começaram, junto com os doze discípulos, a fazer perguntas a Jesus sobre parábolas. Jesus disse a eles: — A vocês Deus mostra o segredo do seu Reino. Mas para os que estão fora do Reino tudo é ensinado por meio de parábolas, para que olhem e não enxerguem nada e para que escutem e não entendam; se não, eles voltariam para Deus, e ele os perdoaria.” – Marcos 4.10-12

Jesus conta a parábola do semeador para os discípulos e para a
multidão. Depois de contá-la, a multidão não entende quais são as
questões morais da história e vai perguntar para Jesus. Os discípulos
também questionam isso mas Jesus explica os conceitos por detrás da parábola só para os discípulos e não para a multidão. Porquê?

Entendo que Jesus com isto quer dizer para os discípulos que por
eles serem os seus seguidores, eles poderão conhecer mais
profundamente os princípios que Ele quer comunicar. E que a multidão só terá este conhecimento quando cada um se tornar um discípulo e/ou discípula de Jesus.

Já ouvi de muitas pessoas que não são Cristãs, que já leram a Bíblia
e não conseguiram entender quase nada do que estava escrito. Já ouvi isso de pessoas que se dizem Cristãs também, mas com certeza a quantidade de pessoas que não são Cristãs é sempre maior.

Entendo que isto tem muita relação com o que Jesus disse na parábola do semeador. Aqueles que têm o Espírito Santo de Deus tem acesso ao sentido por detrás das escrituras que aqueles quem não tem o E.S. não podem ter.

Portanto, só com o E.S. podemos compreender profundamente os
ensinamentos de Jesus Cristo. E como podemos exercitar o conhecer das lições do mestre? Com Parábolas, ora bolas!

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.