A imagem expressa uma alegria incontrolável.

Alegria Transbordante

 Muitos pastores, missionários e líderes cristãos com zelo e no intuito por ver o evangelho salvador de Jesus ser proclamado, acabam por usar como estratégia colocar peso na consciência dos cristãos para que se engajem nesta obra, e Deus que age livremente por sua boa vontade até permite que trabalhos feitos com base neste peso avancem. Mas certamente, agir assim, com esta motivação, não faz jus a beleza do Evangelho do Senhor Jesus. Todos os cristãos têm a responsabilidade de proclamar a salvação que há exclusivamente em Cristo, porém, sua motivação deve estar alinhada com toda glória que esta mensagem traz, ou seja, é preciso proclamar o Cristo com alegria transbordante, uma alegria que não cabe dentro do coração e da mente e atinge, de alguma forma, todos aqueles que estão ao nosso redor.

A alegria é prometida por Jesus na sua oração sacerdotal (ver João 17.13), que ainda enriquece esta promessa dizendo que a alegria dele será derramada na vida dos discípulos de forma completa. O próprio Cristo é impulsionado em seu ministério pela promessa da alegria (Hb 12.2). O apóstolo Paulo convida os irmãos da igreja de Filipo a se alegrar no Senhor (Fp 4.4) e ainda explica a igreja de Roma que a alegria é uma característica do Reino de Deus (Rm 14.17). Neemias motiva o povo de Israel para a obra de Deus lembrando que “a alegria do Senhor é a sua  força” (Ne 8.10). E os salmistas também incentivam o povo a buscar alegria no Senhor, como por exemplo, o Salmo 37.4 que diz: “alegra-te no Senhor e ele satisfará os desejos do seu coração”. Veja, a alegria do Senhor está absolutamente disponível para aqueles que se rendem de coração a Deus e a Seu Filho, Jesus Cristo.

Michael Green escrevendo sobre o sucesso da evangelização nos primeiro, segundo e terceiro séculos da era cristã, afirma que uma das explicações para este êxito é justamente a alegria na vida dos cristãos, que viviam sua fé de forma bonita, fraterna, comprometida, cheia de amor e impulsionados por esta alegria transbordante e assim sua postura tinha uma força atracional muito grande na vida das pessoas, e assim o Senhor ia acrescentando a igreja os que iam sendo salvos (At 2.47). Enquanto os cristãos se alegram em Deus, Ele vai fazendo a sua obra.

Infelizmente, para muitos a vida de fé, a participação numa igreja, o ato de servir através de algum ministério, acabou se tornando uma rotina, uma mera obrigação, uma tradição. Mas agir assim não faz o menor sentido, uma vez que Deus por sua graça decide abrir as portas do céu e despejar sobre aqueles que o buscam a alegria, Deus deseja que a sua obra seja feita em alegria (Salmo 100), porque só a alegria transbordante pode fazer justiça a beleza, força, glória, profundidade, magnanidade e magnitude do Evangelho.

C.S.Lewis, grande escritor cristão do século XX, escreveu: “O cristianismo, se for falso, não tem valor; se for verdadeiro, tem valor infinito. A única coisa que lhe é impossível é ser “mais ou menos” importante.” Lewis está afirmando que não há lógica em se viver o cristianismo em mediocridade porque sendo verdade, e assim o cremos com toda nossa vida, ele tem valor infinito, mas como viver algo que tem valor infinito de forma cabisbaixa, cansada e muitas vezes preguiçosa e até infeliz?!

Talvez alguém possa pensar que não há espaço para a tristeza na vida cristã, o que é certamente, um equívoco. Claro que há, pois Deus age em nós e por nós em nossa integralidade e na dialeticidade da vida, na mistura de coisas boas e ruins que acontecem com a gente o tempo todo. Todavia, a alegria que vem de forma dadivosa do Senhor supera as circunstâncias, e cria resiliência e perseverança para que as pessoas que andam com Deus, consigam viver com coragem e firmeza a vida mesmo em meio a tristeza. O estar triste, não é contraditório com o ser alegre.

Caso você esteja vivendo de forma triste e entristecedora, convido-o a dobrar seus joelhos e buscar com disciplina a Deus confiando que o próprio Cristo prometeu derramar da sua alegria em nossos corações. Mas confie mesmo e certamente Deus há de atentar para seu clamor, afinal, a alegria é o combustível da vida cristã, não dá pra ficar sem. Lembre-se que diante de Deus não só importa o que fazemos, mas o como fazemos também. Que façamos então a obra dEle de proclamar o Evangelho, amar ao próximo, servir aos que sofrem etc com alegria, com mais alegria e com mais alegria ainda porque é assim que deve ser.

Laurencie Salles on sabtwitterLaurencie Salles on sabfacebook
Laurencie Salles
Sou uma simples pessoa que encontrou a vida por meio da graça de Deus, e esta magnífica graça tem um nome: Jesus Cristo. A partir de Jesus de Nazaré minha identidade é construída, meus papéis de marido, pai e filho, professor e cidadão são exercidos, e minha vocação pastoral é cumprida. Sou alguém amado graciosamente por Jesus e fora Dele não existe nada em mim que tenha valor ou sentido.
Minha formação é na área de Matemática, pela UFSCar (graduação e mestrado) e em Teologia, pela Faculdade Batista de Campinas, convalidado pelo Centro Universitário Clarentiano, com especialização pela FLAM/UNIFIL e especialização em Ética e cidadania pela USP/UNIVESP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *