aperto de mão

O serviço nosso de cada dia

“[…] todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal.” (Mateus 20:26b)

 Uma das palavras mais belas do NT é “serviço” a qual vem da palavra grega diakonia. Essa palavra expressa a atitude de Jesus Cristo em todo o tempo de seu ministério até o seu último suspiro, e mais ainda, o próprio Cristo ressurreto atuou em diaconia, servindo em amor e graça seus discípulos e discípulas; nas palavras dEle: “Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos”. (Mateus 10.45)

Geralmente, quando alguém usa a palavra “serviço”, usa-a de modo pejorativo: “Ah, estou cansado e tenho muito serviço pra fazer!”, contudo, nas Escrituras Sagradas, serviço não é um peso é, sim, um privilégio, uma honra, embora seja desafiador e complexo.

Hoje que se celebra o dia das mães, é uma boa oportunidade para se falar sobre serviço, uma vez que a maternidade expressa bem a diaconia cristã, uma atitude positiva e pró-ativa em favor do outro (no caso os filhos) sem interesses, sem barganhas, tão somente movido por amor, no intuito de fornecer ao outro aquilo que ele precisa. O fato de ser por amor não elimina as pedras do caminho. Afinal, como bem disse o poeta: “tem uma pedra no meio do caminho”.

É fato que a melhor maneira de um cristão demonstrar a profundidade do seu cristianismo e a radicalidade do seu compromisso com o Cristo é servindo. O Senhor Jesus disse que se o discípulos vivessem em unidade, ou melhor dizendo, em plena unidade, o mundo reconheceria que o Pai é um Pai de amor e que enviou Jesus para trazer a salvação (João 17.23). E como se vive a unidade? Atuando em amor e graça e misericórdia em favor do outro e não só isso, mas também buscando uma comunhão profunda com este outro que deve ser, biblicamente falando, amado e servido.

Muitos cristãos agem com superficialidade em relação ao seu suposto cristianismo. Eles querem atuar no mundo através do discurso, tão somente pelo discurso. Querem gritar aos quatro cantos do mundo, movido pelas redes sociais, sobre suas verdades, sobre sua moral e sobre o candidato político que acha que vai salvar a nossa falida Pátria. Querem convencer, inocentemente, pelo discurso, geralmente abrasivo e agressivo, os outros a aderirem à fé cristã. Quem vai dar crédito a tal postura arrogante?

Acredito piamente que não é este o caminho apontado pela Palavra de Deus. Os discípulos devem atuar no mundo à luz de nosso Senhor Jesus Cristo: em serviço amoroso e benevolente. Mas o que significa servir? Significa ajudar, encorajar, apoiar, visitar, doar aos pobres, conversar gentilmente, dar uma força, estender a mão, ensinar, fazer um café,visitar idosos para conversar, trabalhar voluntariamente numa ONG que atende crianças em situação de risco, convidar um irmão para comer na sua casa para estreitar os laços, interceder com coração, dar uma carona, abrir a sua casa com hospitalidade, evangelizar com graça e misericórdia, visitar presos, fazer uma compra pondo a mão no bolso por alguém necessitado, estar disposto a ouvir a quem precisa falar o que está engasgado, ajudar na limpeza da casa de quem está doente etc etc etc. As formas de servir são múltiplas. Só não podemos nos iludir achando que é possível ser um cristão genuíno sem ter a disposição e a humildade para servir.

Se todo cristão fosse motivado e agisse como as mães que servem a seus filhos incansavelmente, a tempo e fora de tempo, de dia, de tarde, de noite, de madrugada, no calor, no frio, com saúde, sem saúde, com ânimo, sem ânimo, com vontade, sem vontade, com dinheiro ou sem dinheiro, feliz ou triste, o cristianismo seria bem mais bonito de se ver, seria mais eficaz e engajado na sua atuação no mundo, aliás, seria mais parecido com Cristo. Afinal, ser mãe é servir, ser cristão também.

Laurencie Salles on sabtwitterLaurencie Salles on sabfacebook
Laurencie Salles
Sou uma simples pessoa que encontrou a vida por meio da graça de Deus, e esta magnífica graça tem um nome: Jesus Cristo. A partir de Jesus de Nazaré minha identidade é construída, meus papéis de marido, pai e filho, professor e cidadão são exercidos, e minha vocação pastoral é cumprida. Sou alguém amado graciosamente por Jesus e fora Dele não existe nada em mim que tenha valor ou sentido.
Minha formação é na área de Matemática, pela UFSCar (graduação e mestrado) e em Teologia, pela Faculdade Batista de Campinas, convalidado pelo Centro Universitário Clarentiano, com especialização pela FLAM/UNIFIL e especialização em Ética e cidadania pela USP/UNIVESP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *