SE SER EVANGÉLICO É ISTO, ENTÃO NÃO QUERO SER

Se ser evangélico é ter que escolher entre calvinismo e arminianismo, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se a base da minha teologia for Cristo como chave hermenêutica para interpretação da bíblia, nada e ninguém mais.

Se ser evangélico é crer que o espaço de encontro dos Cristãos é a casa de Deus, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se o entendimento for que a casa de Deus é todo Cristão.

Se ser evangélico é ter que ir à igreja no domingo duas vezes por semana no mesmo lugar sempre sem nunca poder mudar, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se a prática for que todo Cristão é a Igreja de Deus e que deve ser Igreja todo dia em todo tempo.

Se ser evangélico é dizer amém para tudo que os pastores pregam e para pessoas que supostamente “falam em nome de Deus”, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se o entendimento for que todo Cristão é sacerdote de si mesmo, que o Espírito de Deus é o principal intérprete da Palavra de Deus e que as pessoas podem ser usadas ou não por Deus, mas que o critério seja a Bíblia.

Se ser evangélico é ter que conhecer, cantar, comprar CD, bater palmas, correr, pular, pegar autógrafo, comprar camisetas de artistas da música Gospel que escrevem mentiras da Bíblia em forma de músicas pobres de melodia, sem poesia nem profundidade bíblica, sem coerência teológica e sem leveza de vida, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se o entendimento for que Deus dá talento musical para muitas pessoas no mundo, durante toda a história humana que escreveram e compuseram músicas com leveza de vida, com poesia, falando de Deus ou não, mas que podemos perceber verdades sobre Deus e sobre a vida mesmo que não tenha um entendimento bíblico profundo, mas tenha sensibilidade humana. Que àqueles que se dizem Cristãos e que querem compôr músicas que falem das verdades da bíblia de maneira séria e coerente, focando mais na graça do que em falsa justiça de Deus para condenar, manipular, extorquir, dominar e escravizar pessoas em nome de Deus, então eu quero ser evangélico.

Se ser evangélico é ter que aceitar tudo que uma denominação específica disser sobre a Bíblia, Deus, a vida humana, a criação e teologias, então não quero ser evangélico.

Quero ser evangélico se puder viver em comunhão com o máximo de pessoas possíveis da Igreja de Cristo espalhada pela terra, aprendendo com a Bíblia, com o Espírito Santo, com todas as tradições Cristãs, com minhas experiências, com pessoas não Cristãs, com a Igreja de Cristo, com a natureza e com qualquer forma que Deus julgar necessário para que eu aprenda e viva as verdades sobre tudo que existe e tudo que ainda não conheço, então eu quero ser evangélico.

Mateus Feliciano on sabyoutubeMateus Feliciano on sabtwitterMateus Feliciano on sabmyspaceMateus Feliciano on sablinkedinMateus Feliciano on sabinstagramMateus Feliciano on sabgoogleMateus Feliciano on sabfacebookMateus Feliciano on sabemail
Mateus Feliciano
Seguidor de Jesus Cristo desde 1991; marido da Carol Lourenço desde 2010 e pai da Clara desde 2016; nascido em Santo André-SP desde 1982 e morando em Campinas desde 2003. Formado em administração, teologia e pós graduado em exposição bíblica. Coordenador da Seara Urbana ONG de recuperação de moradores de rua desde 2006; Pastor na IBBG, da REDE (IBBG Jovem) e do HELP (Ação Social); Professor na Faculdade Teológica Betesda nas áreas de teologia, missiologia e eclesiologia; Professor de missões urbanas e discipulado na JOCUM; Membro da FTL-Fraternidade Teológica Latino Americana.